Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

MEIADESFEITA

Este é um espaço de temática aberta, conforme a inspiração do dia (Todos os direitos dos poemas são reservados por direitos de autor)

Este é um espaço de temática aberta, conforme a inspiração do dia (Todos os direitos dos poemas são reservados por direitos de autor)

Amores e humores

 

Vida e talento, por Deus ofertado

 

Coração que sente, vida da gente

 

Dádiva pura, chegou destreinado

 

 

 

Pulsa de vida, batendo bem forte

 

Cansado com dores, descuidado

 

Ora apressado, a rir emocionado

 

Ou irritado, a pressentir desnorte

 

 

 

Bate, bate, bate forte, bem ritmado

 

coração de dor, ou querer de amor

 

O homem nasceu pouco avisado

 

O amor  trafica direitos de autor

 

 

 

Lágrima em cristal

 

 

 

Esvoaçando vi, gota leve colorida

 


Era uma lágrima, feita em cristal,


de teu coração puro, quase fugida

 


Lágrima de anjo, querendo guarida

 


Apanhei e  analisei, era dor banal


Apenas sódio, para sarar a ferida

 


Já passou, sensata mulher ideal


dia a dia, o sorriso animará a vida

 


Houve o que digo, oh musa querida

 

 

esse cristal, simbolo de amor imortal

 

tenho-o no coração, natural  guarida

 

 

lágrima, ai reprimido, o meu sal

 

sal em cristal, de teus olhos saída

 

 

Esvoaçando vi, gota leve colorida

 

Lágrima de anjo, querendo guarida

 

 

 

 

 

 

Vida, de amor e dor

Vidas, com acasos, stress ou dor
Penas sentidas, por vezes seguidas....
Folhas caídas, de vidas desunidas
projectos de desenho, a que faltou cor

 

 

Emoção, coração e doce inquietação

viver em ternura e encanto, é vitalidade,

vitamina e remédio, em toda a idade

Mimos e carinhos, suave palpitação

 

O homem e a mulher, na harmonia

Em mútua entrega, tornada alegria

criam o supremo prodígio, do amor

árvores gigantes, plenas de vigor

 

Mas Deus e a natureza, à prova nos põem...

Ou a nossa imperfeição nos torna frágeis

 

Vidas, com acasos, stress ou  dor

Penas sentidas, por vezes seguidas....

Folhas caídas, de vidas desunidas

projectos de desenho, a que faltou cor

 

Tudo isto é vida ...que vença o amor

Cair e levantar, outro jardim plantar

nova vinha, videiras regar e podar,

O fruto terá doce, já sinto seu odor

 

 

 

Outono cinzento

 
 

 

Foges de mim, doce luar

Deixas-me só, com a minha dor...

Assim nem quero acordar

Cores primaveris,  a entreabir

Verdes campos, o sol a brilhar

Reflectido nos olhos, teu fulgor

Versos platónicos, mas a sorrir

 

 


Esta matéria quase petrificada

Abandonada, esmorecida

para o esquecimento atirada

Em mundo de gente sofrida

 


Manda-me grilos, para esverdear

Vaga hipótese de voltar a cantar

 

 

 

 


 

                                                               

 

Natura vincit...

 

http://www.filmeametro.com/joaobentoboavida/upload/136.gif

 

 

Acasos, circunstâncias

Herança genética e cultura

Parecem o nada

e são coisa bem dura

 

Vida efémera, passagem

O nada é tudo,

miragem

 

Acasos da fortuna

ou

do azar,

fado, dor inoportuna

 

Siga a viagem

O sofrer está perto,

e o prazer é efémero,

incerto

 

A natureza vence,

A ciência não convence

O homem é coisa pouca

 

 

Nem grão de areia,

na engrenagem

 

 

 

 

 

 

Holter e cardiograma

Os fanáticos da ciência, aos males do coração

Os procuram de urgência, usando cardio-medição

Isquemias, arritmias, síncopes  ou cardio-ataque

São procurados com afã,de prevenção a rebate

Tocam os sinos roucos da médica preocupação

Mas os males são outros, vêm da falta de caricia

Natural como a água,a cair no banho matinal

A morna e doce delicia, do duche habitual

O mutuo entregar dos corpos em celebração

beijos, doces rumores e afáveis ocasiões

E quem os não tem, anda em sofrida depressão

E  os fanáticos da ciência se põem a perspectivar

Mas não têm remédio para destas dores cuidar

 

Eu, que sou aprendiz e também sofredor, infeliz

Tomo ares de doutor e mando a vocês, divinas

mulheres sensuais e de carências de todo o cariz

Da carne ou do espírito, vamos abrir as narinas

Contrariem o destino, deixem esses falsos pudores

Abram coração e alma, partilhando odores e amores

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Links

vou lendo

  • portugal profundo
  • sorumbático

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2010
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2009
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2008
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2007
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2006
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D