Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

MEIADESFEITA

Este é um espaço de temática aberta, conforme a inspiração do dia (Todos os direitos dos poemas são reservados por direitos de autor)

Este é um espaço de temática aberta, conforme a inspiração do dia (Todos os direitos dos poemas são reservados por direitos de autor)

Melancia sensual

 

 

 

 

 

 

 alerta...
oiçam os sabios,
os filósofos antigos
façam uma aliança,
com os perigos...

Tão gostosa a melancia
fria e sensual
Mas só depois de aberta...
Se conhece a sua cor, seu sabor
E se sabe o que nos reserva...


Se caricias e doçuras
Gostosas,
Ou mil desventuras
Dolorosas

                                                                                 

   

 Menina poe-te alerta ...
E tu menino tambem
Sonhai, gozai..descobri e amai...
Mas na hora, naquela hora,

em que vai 

ou não vai

Tão gostosa a melancia
fria e sensual

 

 

 

Olhai o vento que uiva e assobia
e seus ais...
São gritos de uma cotovia

e de tantos pardais

 


Viram muitos melanciais,

 


Fatais

 

 

 

 

 

Domingo - Palavras de mal-dizer

Não foi dia de má sina..ou de dor

Mas pior não deve  haver...

A gente a fazer coisas, por amor

 e bem querer

e a receber de volta, palavras...

De mal-dizer

O conteúdo da coisa, pestilenta

Vem de bocas refinadas, ingratas

Em momentos assim, de tormenta

Me apetecia não existir

Por tanto padecer,

Não do corpo, mas da alma..

E dores assim, sentidas

Dores perdidas, de tanto bem querer,

Não há remédio que as cure

Têm de se padecer...

 

 

Fado

F@DO

Toma minha mão..minha mao na tua..os dois pela rua...de rua em rua...de esquina em esquina...

                    

                                                                                          

    nesta aqui...um beijo roubado..naquela, ali..um abraço apertado...

.

                                                                                                  

                           e além ao fundo, no meio da relvado...em ais e gemidos.

                          

                                

cantaste um lindo f@do

 

        

Luna bemsaúde

 

 

Intelectual affairs
Downstairs…upstairs
Luna bemsaúde
Na Internet amiúde

Um olhar doce e fino...matreiro
Se esconde, sorrateiro
Num rosto, na anónima multidão…

É olhar nobre, concerteza
Mas de inebriante beleza


Pensa e escreve, com arte
Os outros motiva, destarte
uma mulher rija e tesa
trigueira concerteza

Doce e suave,
Atractiva, de mais…
Faz o bem como entretém

Ser sua amiga, uma dádiva
Nestes intelectual affairs
Tão sensual…e eu tão rude
Na Internet amiúde

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Links

vou lendo

  • portugal profundo
  • sorumbático

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2010
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2009
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2008
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2007
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2006
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D